ANEMIA PERNICIOSA | Anemia Megaloblásica por Deficiência de Vitamina B12

Por: Ana Carolina Carvalhal | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 27/09/2012

PUBLICIDADE
Vitamina B12

 

Anemia Perniciosa é uma condição clínica causada por deficiência de vitamina B12 (cobalamina), com alteração na síntese de DNA, que se acompanha de eritropoiese (produção de hemácias) ineficaz, resultando no aparecimento de anemia ou pancitopenia e déficit de mielinização dos axônios.

Causas:

Mucosa gástrica atrófica por mecanismo autoimune; deficiência de fator intrínseco; autoagressão contra células parietais gástricas; gastrinoma; doença celíaca; enterite regional; deficiência de transcobalamina (raro).

Fatores de Risco:

Dieta vegetariana estrita sem suplementação de vitamina B12; gastrectomia; Síndrome da alça cega; Infestação por Diphyllobothrium; Síndrome de má- absorção; Pancreatite crônica; Alcoolismo; Medicamentos (agentes orais quelantes de cálcio, ácido aminossalicílico, biguanidas).

Sinais e Sintomas:

Glossite

Assintomática na fase inicial; palidez cutânea; mucosas descoradas; emagrecimento; perda de paladar; diarréia; sonolência; depressão; alucinações; confusão; demência; glossite (inflamação da língua) atrófica; dificuldade na marcha; reflexos diminuídos ou ausentes; sinal de Romberg positivo; sinal de Babinski positivo.

- PUBLICIDADE -

Diagnóstico Diferencial:

Deficiência de ácido fólico; síndromes mielodisplásicas; distúrbios neurológicos sem deficiência de B12; AIDS; outras causas de anemia macrocítica (hipotireoidismo, anemias hemolíticas, hemorragias agudas); síndrome de má- absorção de vitamina B12 de origem familiar; gastrite crônica relacionada à infecção por Helicobacter pylori.

Exames Complementares:

Hemograma (anemia macrocítica com VCM > 110 fl, leucopenia < 3.500 x 10?/ l, neutrófilos hipersegmentados, plaquetopenia < 150.000/µl); hiperbilirrubinemia indireta (> 0,6 mg/dl); desidrogenase lática elevada (> 480 U/ml); nível sérico de vitamina B12 diminuído; níveis séricos de hemocisteína elevados (> 16µM), ácido metilmalônico > 270 µM; anticorpo contra células parietais e contra fator intrínsico; estímulo de pentagastrina (pH estomacal > 6- acloridria).

Tratamento:

Ao longo da vida- a doença é controlável, mas não tem cura.

Medicamentos: Cianocobalamina parenteral (via de administração não oral ex. intramuscular…) ou hidroxicobalamina , na primeira semana diariamente; a seguir  IM, semanalmente durante um mês; injeções mensais ou bimestrais durante toda a vida.



PUBLICIDADES


Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Powered by WordPress | Designed by: Best SUV | Thanks to Toyota SUV, Ford SUV and Best Truck