ARTRITE REUMATÓIDE | Sinais – Sintomas – Diagnóstico – Tratamento

Por: Clara Isabela Pereira | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 01/10/2012

PUBLICIDADE
Artrite reumatóide1

 

A Artrite Reumatóide é uma doença auto-imune, inflamatória, caracterizada por poliartrite crônica, simétrica, erosiva e na maioria das vezes progressiva. Afeta preferencialmente mulheres, entre 35 e 65 anos.

Tem etiologia desconhecida, estando envolvida em sua gênese fatores genéticos e ambientais, que promovem alterações da resposta imunológica a perpetuação de fenômenos inflamatórios articulares.

Sinais e Sintomas:

Na grande maioria dos pacientes, quadro clínico tem inicio insidioso, comprometendo preferencialmente as pequenas articulações das mãos, de forma aditiva, simétrica e causando rigidez matinal prolongada.

Pode ser precedida por sintomas gerais, como adinamia, fraqueza, febrícula e mialgia. Em 20% dos casos a doença se inicia afetando menos de quatro articulações, preferencialmente as grandes articulações, como joelhos, tornozelos ou cotovelos. Mais raramente a doença pode iniciar-se com poliartrite aguda.

Embora a artrite reumatóide possa afetar qualquer articulação, as mais acometidas são as articulações das mãos, metacarpo-falangeanas, metatarso-falangeanas, cotovelos, tornozelos, joelhos e ombros. As articulações acometidas apresentam aumento de volume e de temperatura, dor à palpação e mobilização, com envolvimento simétrico e acompanhado de rigidez matinal prolongada, geralmente por mais de uma hora.

As deformidades aparecem com a evolução da doença, principalmente nas mãos e nos pés, surgindo os “dedos em pescoço de cisne”, “dedo de boteira”, “dedo em martelo”, desvio ulnar dos dedos, hálux valgo e acavalgamento de dedos dos pés.

O comprometimento de outros órgãos ocorre na grande maioria dos casos, causando nódulos reumatoides subcutâneos ou viscerais, anemia, pleuris, fibrose intersticial pulmonar, vasculite de artérias, miopatia, osteoporose e pericardite.

- PUBLICIDADE -

Diagnóstico:

O diagnóstico da artrite reumatóide é baseado nas manifestações clínicas, teste laboratorial, alterações radiológicas e pela evolução da doença.

Os exames laboratoriais que podem ser solicitados são: hemograma, velocidade de hemossedimentação, proteína C reativa, alfa1-glicoproteína ácida, fator reumatoide, anticorpos antinucleares e avaliação do líquido sinovial.

Na fase inicial da doença a radiografia pode demonstrar apenas aumento de partes moles, sem alterações osteocartilaginosas. Com a evolução da doença são observados osteopenia periepifisária, pequenas erosões marginais e diminuição do espaço articular.

A ressonância nuclear magnética, devido o seu alto custo, não é indicada na prática clínica, mas é útil para a visualização das alterações ósseas e articulares em fase precoce da doença.

Também são utilizados critérios para definir o diagnóstico, sendo necessários pelo menos 4 dos 7 critérios para diagnosticar a doença:

– Rigidez matinal de pelo menos 1 hora;
– Artrite de 3 ou mais regiões articulares com edema ou derrame articular;
– Artrite em articulações das mãos;
– Artrite simétrica;
– Nódulo reumatoide;
– Fator reumatoide sérico;
– Alterações radiográficas.

Tratamento:

É imprescindível a realização precoce do diagnóstico para uma intervenção adequada.  O tratamento inicial inclui o uso de antiinflamatórios não hormonais, para redução da dor e do edema e melhora da função articular. Não alteram o curso da doença nem previnem a destruição articular.

Se os antiinflamatórios não aliviarem a dor e o edema articular, podem ser usadas baixas doses de corticosteroides, como a Prednisona.

O tratamento cirúrgico tem como objetivos principais a melhora da dor e a manutenção ou melhora da função articular. A cirurgia deve ser realizada antes da instalação das deformidades mais graves.

A fisioterapia é fundamental em qualquer fase da doença, com a finalidade de instabilidade e desalinhamento. O uso de órteses poderá auxiliar na preservação de energia e da função articular, e também na prevenção de deformidades maiores.



PUBLICIDADES


One Response para o texto: “ARTRITE REUMATÓIDE | Sinais – Sintomas – Diagnóstico – Tratamento”

  1. Rejane disse:

    Olá. Fiz um exame de sangue recente com hemossedimentação 4mm e fator reumatoide (látex FR) 44,6 UI/ml . Posse considerar que tenho artrite reumática? Raramente tenho dores e quando as tenho é nos MMII.Coloco as pernas elevadas e melhoro. Sou adepta de exercícios físicos e boa alimentação. Agaurdo esclarecimentos! Desde já agradeço.

Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Powered by WordPress | Designed by: Best SUV | Thanks to Toyota SUV, Ford SUV and Best Truck