AS VANTAGENS DO PARTO NATURAL

Por: Tiago Zenero | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 06/07/2014

PUBLICIDADE
Parto Normal

 

O parto natural é quando o médico simplesmente acompanha o parto, sem intervenções como anestesias, episiotomia ou indução. Dessa forma, o ritmo e o tempo da mulher e do bebê são respeitados. Além disso, a recuperação é rápida. A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que apenas 15% dos partos devem ser feitos por cesariana, mas no Brasil o número é bem maior. Mais de 40% dos partos no país são cesarianas.

Benefícios do parto natural:

O parto natural é o mais indicado porque ele traz benefícios tanto para a mãe quando para o bebê. Em uma cesariana, o risco de morte materna é 3,5% maior do que no parto natural.

Uma segunda vantagem para a mãe nesse tipo de parto é a recuperação. Além de um tempo de recuperação menor, há menos riscos de infecções, hemorragias e lesões de órgãos como bexiga, uretra, artérias e intestinos. A perda de sangue também é muito menor. Enquanto em uma cesariana a paciente perde cerca de 1,5 litros de sangue, no parto natural ela perde, no máximo, meio litro.

O bebê, apesar de passar por um período de estresse durante o trabalho de parto natural, beneficia-se pelas mudanças que acontecem durante esse momento. Na hora do parto, há o desencadeamento da produção de substâncias, como os corticoides, que ajudam a preparar o organismo do bebê para o ambiente externo ao útero. Além disso, a saída pelo canal vaginal provoca uma compressão do tórax do bebê, o que ajuda a eliminar todo o líquido amniótico das vias respiratórias, aliviando, portanto, os desconfortos respiratórios.

- PUBLICIDADE -

Quando fazer um parto cesariano:

Logo no começo da gestação, qualquer mulher está apta a realizar um parto natural, salvo quando ela já tenha feito duas ou mais cesárias anteriores ou apresente alguma doença que impeça o parto natural, como algum problema cardíaco grave. No decorrer da gestação, contudo, alguns problemas que impedem o parto via vaginal podem aparecer. Nesses casos, é recomendado que a mulher faça uma cesariana.

Algumas situações que pedem um parto de cesárea são: desproporção céfalo-pélvica, quando a cabeça do bebê é maior do que a passagem vaginal da mãe; hemorragias no final da gestação; bebê transverso; sofrimento fetal; diabetes gestacional; pressão alta e trabalho de parto prolongado.

Dores e anestesia do parto natural:

O parto natural geralmente pode ser feito sem anestesia. Porém, quando há cortes na genital, como a episiotomia, é preciso aplica e anestesia local ou mesmo a raquianestesia, aplicada nas costas apenas na hora do parto.

A anestesia recomendada para esses casos é a peridural, pois ela faz com que a paciente não sinta dores, mas que ainda consiga fazer os movimentos necessários para a hora do parto.

Graças às contrações uterinas, o parto natural costuma ser mais dolorido caso não seja aplicada a anestesia. Contudo, para aliviar essa dor há algumas técnicas, como massagens, banhos de banheira e certas atividades como exercícios na bola.



PUBLICIDADES


Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Powered by WordPress | Designed by: Best SUV | Thanks to Toyota SUV, Ford SUV and Best Truck