BLEFARITE | Inflamação da Pálpebra

Por: Clara Isabela Pereira | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 18/05/2013

PUBLICIDADE
Blefarite

 

Blefarite é a inflamação aguda ou crônica da borda palpebral.

Causas:

A blefarite pode ser seborreica, estafilocócica ou mista. A seborreica é causada por disfunção das glândulas sebáceas, colonização por Corynebacterium acnes ou oleosidade das células cutâneas. A blefarite estafilocócica é causada por colonização das glândulas de Zeiss da reborda palpebral e das glândulas meibomianas posteriores aos cílios por Staphylococcus aureus, e em geral associa-se à blefarite seborreica. A forma mista é dermatite seborreica com infecção estafilocócica.

Fatores de risco:

Os fatores de risco para blefarite são dermatite seborreica, acne rosácea, diabetes e estado de imunodeficiência.

Sinais e sintomas:Locais blefarite

– Blefarite seborreica: eritema da borda palpebral, secreção oleosa nos cílios e/ou bordas palpebrais, caspas no couro cabeludo e sobrancelhas e eritema nasolabial em alguns pacientes.
– Blefarite estafilocócica: hiperemia palpebral com crostas nas raízes dos cílios e telangiectasias nas bordas palpebrais, hiperemia conjuntival com ardor principalmente pela manhã ou no final da tarde, sensação de corpo estranho, ulcerações na base dos cílios, presença de reação micropapilar tarsal.
– Blefarite mista: sintomas e sinais de blefarite estafilocócica e seborreica.

- PUBLICIDADE -

Diagnósticos diferenciais:

Os principais diagnósticos diferenciais da blefarite são: carcinoma de células escamosas, basocelular ou de células sebáceas.

Exames complementares:

Os exames complementares são necessários em casos refratários ao tratamento e quando há suspeita de neoplasia corneana. São eles: biópsia e cultura do material colhido na reborda palpebral.

Complicações:

As complicações possíveis da blefarite são: hordéolo, calázio recorrente, fibrose da borda da pálpebra, direcionamento errôneo dos cílios, madarose, ceratites infecciosas.

Tratamento:

– Blefarite seborreica: higiene da borda palpebral com xampu neutro (diluído, 1 parte do xampu para 3 partes de água morna) ou agente emolientes (poliglicol, glicerina, em solução milesimal), lavar a margem palpebral (raiz dos cílios) pelo menos uma vez ao dia, compressas mornas (15 minutos, 4 vezes ao dia, durante 10 dias) e lubrificantes.
– Blefarite estafilocócica: higiene palpebral, pomada ou colírio antimicrobiano (tobramicina, ciprofloxacino, acido fusídico a 1%, tetraciclina ou eritromicina).
– Blefarite associada com acne rosácea e meibomite recorrente: o tratamento é semelhante aos outros casos, porém associa-se antibioticoterapia sistêmica com Doxiciclina ou Tetraciclina.



PUBLICIDADES


Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Powered by WordPress | Designed by: Best SUV | Thanks to Toyota SUV, Ford SUV and Best Truck