DIABETES NA GRAVIDEZ – GESTACIONAL

Por: Dr. Eduardo Machado de Carvalho | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 26/01/2016

PUBLICIDADE
Diabetes Gestacional

 

A insulina é um hormônio produzido no pâncreas, tendo como função controlar a quantidade de glicose (açúcar) disponível no sangue para ser usado como fonte de energia e permitir que o excesso de açúcar seja armazenado. Sem a insulina, a glicose dos alimentos que você ingere não é absorvida pelas células e se acumula no sangue causando o diabetes.

O diabetes gestacional é uma doença que surge durante a gravidez, que pode ser diagnosticada no inicio ou durante toda a gestação. A gestante fica com uma quantidade maior que o normal de açúcar no sangue, podendo persistir ou não após o parto. O diabetes gestacional surge quando a gestante não consegue produzir a insulina em quantidade suficiente para atender a demanda tanto da mãe quanto do bebê. O açúcar em excesso no sangue pode ser transferido para a placenta e causar problemas para o bebê.

Causas do Diabetes Gestacional:

A principal causa é a dificuldade que a gestante pode ter em utilizar a insulina de modo eficiente, devido a resistência causada pelos hormônios da gestação ou pelo aumento de peso durante a gravidez.

Fatores de Risco:

A presença do diabetes gestacional determina uma gestação de risco e os fatores de risco mais importantes são:

– Idade materna superior a 25 anos;
– Baixa estatura;
– Presença de hipertensão arterial (pressão alta da mãe);
– História pessoal de diabete;
– Presença de parentes de 1º grau com diabete;
– Gestações anteriores com bebês muito grandes ou com má-formação;
– Retardo de crescimento do feto;
– Morte fetal ou neonatal sem causa aparente em gestações anteriores;
– Aumento excessivo de peso na gravidez atual;
– Altura uterina maior do que a esperada para a idade da gestação;
– Crescimento acentuado do feto;
– Presença de grande quantidade de líquido em torno do bebe durante a gestação;
Obesidade ou excesso de peso;
– Raça: hispânicos, afro-americanos, indígenas americanos, asiático-americanos, indígenas australianos ou das ilhas do pacífico;
– Diabetes gestacional em uma gestação anterior;
– Glicose na urina;
– Parto pré maturo.

Sinais e Sintomas do Diabetes Gestacional:

O diabetes gestacional poderá não apresentar sintomas, mas se ocorrer estes podem incluir:

– Maior vontade de urinar;
– Sede;
– Fome;
– Infecções do trato urinário ou vaginal recorrentes;
– Fraqueza.

Diagnóstico:

De acordo com o estudo HAPO (2010), a triagem para o diabetes gestacional deve ser realizada no início da gestação e com 24 semanas:

1-  A glicemia de jejum maior ou igual a 92 mg, mas < 126 mg em qualquer idade gestacional (pois glicemia de jejum maior ou igual a 126 mg é consistente com diabetes pré-gestacional, ou seja, a gestante já tinha diabetes antes de engravidar);

- PUBLICIDADE -

2- Com 24 a 28 semanas de gestação deverá realizar o TOTG (teste oral de tolerância à glicose) com 75 gramas de glicose, é o teste onde a grávida ingere um líquido açucarado e dosa a glicose no sangue após 1h e 2h da ingestão deste líquido. Caso tenhamos pelo menos um resultado anormal (seja no resultado de 1h ou no resultado de 2h), iremos considerar o diagnóstico de diabetes gestacional. Para que os resultados sejam considerados normais, a glicose sanguínea deverá estar dentro dos seguintes valores:

a) após 1 hora da administração oral de 75g de glicose: < 180 mg;
ou
b) após 2 horas da administração oral de 75g de glicose: < 153 mg.

Qualquer um desses dois resultados teremos o diagnóstico de diabetes gestacional.

Tratamento:

1) Dieta

– Ter uma dieta equilibrada;
– Comer bastante frutas, vegetais e fibras;
– Limitar a quantidade de gordura que você ingere e evitar alimentos com alto nível de açúcar;
– Comer porções moderadas de alimentos a cada refeição;
– Fazer um lanche com proteína e amido antes de dormir;
– Não ganhar mais peso do que o recomendado durante a gestação;
– Manter um registro de sua alimentação para compartilhar com o médico.

2) Exercícios

A atividade física ajuda o corpo a usar a glicose. A insulina que você produz será mais eficiente. Pergunte ao seu médico qual a rotina ideal de exercícios.

3) Exame do açúcar no sangue

Use um monitor para verificar os níveis de glicose. Mostre os resultados ao médico nas consultas de pré-natal.

4) Insulina

Se você tiver feito mudanças no estilo de vida e os níveis de glicose permanecerem acima do adequado, você pode estar precisando de insulina.

Acompanhamento

Depois do parto os níveis de glicose geralmente voltam ao normal. Você precisará fazer um exame de tolerância à glicose depois de 6 ou 8 semanas após o parto. Exercitar-se, amamentar e perder peso ajudam a reduzir a sua chance de desenvolver diabetes tipo 2 .

Mãe com diabetes gestacional tem uma probabilidade de 10% de apresentar diabetes mellitus tipo 2 imediatamente após a gravidez. A probabilidade de desenvolver diabetes mellitus tipo 2 nos anos seguintes a gravidez foi estimada ser tão alta quanto 40% dentro de 20 anos.

Metas da Glicose durante o Tratamento:

– glicemia de jejum deverá ficar menor ou igual a 95 mg;
– glicemia após 1h da refeição: menor ou igual a 140 mg; ou após 2h da refeição menor ou igual a 120 mg.

Prevenção do Diabetes Gestacional:

As seguintes recomendações podem ajudar a prevenir o diabetes gestacional:

– Manter o ganho de peso normal durante a gestação;
– Ter uma dieta saudável;
– Exercitar-se regularmente (conversar com o médico antes de iniciar um programa de exercícios).



PUBLICIDADES


Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Powered by WordPress | Designed by: Best SUV | Thanks to Toyota SUV, Ford SUV and Best Truck