DISTENSÃO MUSCULAR | Tipos – Gravidade – Tratamento

Por: Iramar Greco | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 03/05/2016

PUBLICIDADE
Distensão muscular

 

Não pense que só acontece com esportistas ou atletas profissionais; qualquer pessoa está sujeita à distensão muscular. Basta uma pisada em falso, uma corridinha desajeitada, um exercício feito da maneira incorreta ou mesmo um movimento corriqueiro e pronto, surge uma dor aguda que restringe temporariamente o movimento.

A distensão ou estiramento muscular acontece quando um determinado músculo ou tendão que se prende ao osso é submetido a um esforço grande, alonga além do limite normal e rompe. Essa ruptura pode ocorrer em algumas ou várias fibras. Também é normal haver rompimento dos vasos sanguíneos que irrigam as fibras musculares, originando hematoma e inflamação na região.

Os músculos mais propensos a esse tipo de lesão são os posteriores, anteriores e internos da coxa e os da panturrilha.

Tipos de distensão muscular:

Há dois tipos de distensão muscular:

– aguda: ocorre quando um grupo muscular sofre uma contração repentina de forte intensidade; acontece durante a prática de esporte, exercícios ou quando há necessidade do uso de força, como para levantar um objeto pesado do chão;

– crônica: esse tipo de lesão é consequência da prática de exercícios repetitivos que exigem sempre o trabalho do mesmo grupo muscular; é bastante comum em ciclistas, corredores e em atletas profissionais.

Graus da distensão muscular:

A distensão muscular é classificada em três graus, de acordo com a gravidade da lesão.

Grau 1: quando há o estiramento de uma quantidade pequena de fibras; nesse caso, a dor é localizada e tende a desaparecer com repouso;

- PUBLICIDADE -

Grau 2: o número de fibras lesionadas é grande, a dor é maior, normalmente há ocorrência de hematoma e inflamação no local, a função muscular fica comprometida e o tratamento é mais lento;

Grau 3: nesse caso há a ruptura de grande parte, ou completa, do músculo; a dor é intensa, há inchaço palpável, hematoma e grande dificuldade de movimento.

Fatores de risco para a distensão muscular:

Conforme já dissemos, qualquer pessoa está sujeita a sofrer uma distensão muscular, mas a possibilidade é maior entre os praticantes de atividades físicas regulares e os atletas, que devem saber dosar o esforço físico e jamais ultrapassar seu limite.

Alguns fatores que aumentam o risco para ocorrer a distensão muscular:

  • falta de condicionamento físico;
  • prática de exercício sem supervisão de um profissional de educação física;
  • falta de aquecimento e alongamento antes da prática esportiva;
  • fadiga e excesso de peso corporal.

Tratamento da distensão muscular:

Ao sentir a distensão muscular, use uma bolsa de gelo, envolta em uma toalha fina, na região afetada por 20 minutos; repita o tratamento a cada duas horas. O frio diminui a dor, o inchaço e possíveis hematoma ou inflamação. No caso de uma lesão simples (grau 1), o próprio organismo é capaz de reparar as fibras musculares.  Caso os sintomas não desapareçam, procure orientação médica.

Nos casos mais graves (graus 2 e 3) somente um ortopedista pode indicar o tratamento adequado, após a realização de avaliação física e exames de imagem. Uma distensão muscular tratada inadequadamente pode deixar sequelas que limitam os movimentos.



PUBLICIDADES


Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Powered by WordPress | Designed by: Best SUV | Thanks to Toyota SUV, Ford SUV and Best Truck