GONORRÉIA E CONJUNTIVITE GONOCÓCICA

Por: Tiago Zenero | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 16/02/2014

PUBLICIDADE
DST

 

A gonorréia é uma doença sexualmente transmissível causada por uma bactéria, a qual causa infecção principalmente na uretra, que é o canal que liga a bexiga até o meio externo. Ela também pode atingir a corrente sanguínea e afetar as articulações.

Nos casos de sexo oral ou anal, a bactéria chega à região da faringe ou do ânus, causando, respectivamente, alterações na voz e obstrução no canal anal. Outra forma de transmissão é na hora do parto, da mãe para o bebê.

Sintomas e diagnóstico

O período de incubação é bem curto, em alguns casos de apenas 24 horas, mas geralmente variando de 5 a 10 dias, assim a bactéria já começa a causar infecção logo quando atinge a uretra. No caso das mulheres, contudo, a doença pode ser assintomática, isso acontece em 70% das infectadas. Nas que apresentam sintomas, os mais comuns são dor ao urinar e corrimento vaginal. A doença não costuma se manter na vagina porque esse é um ambiente ácido, pouco propício para o desenvolvimento da bactéria.

Já nos homens, os sintomas são bem aparentes. Ela provoca inflamação local, dor ao urinar e eliminação de uma secreção purulenta através da uretra.

Para o diagnóstico, não se colhe o pus já eliminado, pois esse já sofreu alteração de enzimas. Assim, é feito um exame recolhendo material direto da uretra. Tal exame é indolor e libera o resultado em 15 minutos. Caso seja confirmada a gonorreia, o indivíduo deve fazer o teste de outras doenças sexualmente transmissíveis e os parceiros sexuais devem ser alertados para também fazerem os exames.

Tratamento

No passado, a gonorreia era tratada a partir de penicilina benzatina, mas, graças à automedicação, as bactérias passaram por um processo de seleção evolutiva e tal antibiótico já não é mais eficiente. Hoje, dá-se preferência a doses únicas e assistidas, com acompanhamento médico de outros antibióticos, como o azitromicina. O tratamento, além de ser bem simples, é distribuído gratuitamente em muitos postos de saúde.

- PUBLICIDADE -

Caso ela não seja tratada, entretanto, pode haver complicações, pois a bactéria ataca outros órgãos. Nos homens, ela atinge o testículo e pode causar infertilidade. Já nas mulheres ela chega ao útero, às trompas e aos ovários. Além de infertilidade, ela pode causar uma doença grave, conhecida como doença inflamatória da pélvis, a qual pode ser fatal.

Conjuntivite gonocócicaConjuntivite Gonocócica

Em alguns casos, a gonorreia pode afetar os olhos. Ela é então conhecida como conjuntivite gonocócica. Tal doença afeta, principalmente, os recém-nascidos, que são infectados na hora do parto caso a mãe apresente gonorreia. Em adultos, a infecção pode ocorrer quando há contato direto do sêmen de um indivíduo infectado com os olhos.

Geralmente, apenas um dos olhos é afetado e entre um e dois dias após o contato com a bactéria, o olho fica inchado e dolorido, com formação intensa de pus. Se não for tratada, a doença pode causar úlcera de córnea, com posterior perfuração do globo ocular e, consequentemente, cegueira.

Para prevenir a doença, muitos países exigem a aplicação de colírios de nitrato de prata, de iodopovidona ou de uma pomada com antibiótico, como a eritromicina, em recém-nascidos. Já em adultos, comprimidos, injeções ou colírios com antibióticos podem curar a conjuntivite gonocócica. O acompanhamento de um médico urologista e, em alguns casos, de um oftalmologista, é fundamental para o tratamento da doença.



PUBLICIDADES


Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Powered by WordPress | Designed by: Best SUV | Thanks to Toyota SUV, Ford SUV and Best Truck