INFLAMAÇÃO, DEPRESSÃO E NUTRIÇÃO

Por: André Duarte | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 29/01/2016

PUBLICIDADE
Depressão

 

A depressão é uma doença do foro psicológico que provoca tristeza, desmotivação e angústia, bem como a privação do contato social. Acredita-se ter como principal causa as experiências traumáticas, levando ao aparecimento dos sintomas. Cada vez mais estudos são publicados relacionando a depressão com processos químicos/físicos do nosso organismo.

A depressão é uma doença que afeta cerca de 150 milhões de pessoas no mundo todo, é uma das maiores causas de perda da qualidade de vida como resultado da incapacidade psicológica de manter uma vida ativa. Então perguntamo-nos, por que será a depressão tão comum? A resposta poderá estar escrita nos nossos genes. Estudos sugerem que não só os fatores sociais e do meio interferem na evolução desta condição, mas que existe uma predisposição genética que pode ser passada através de gerações.

Existe no entanto uma teoria que tem sido aceita e cada vez mais é estudada no meio científico, que a depressão pode ter origem em mecanismos corporais para nos protegermos de infeções.

Inflamação x Depressão:

A relação entre inflamação e depressão não é um tema recente, desde finais do século XIX que várias hipóteses são estudadas tendo-se chegado a diversas conclusões no último século. Existe uma forte relação entre a depressão e os níveis de proteína c-reativa, que é um marcador de inflamação do organismo, bem como, o aumento do número de casos de alergia e asma entre pessoas com depressão.

- PUBLICIDADE -

Uma excelente descoberta foi feita em um estudo onde 50% dos pacientes aos quais foram induzidos processos inflamatórios, tiveram casos severos de depressão. Aliás, a própria vacinação por muitas vezes conter vírus inativos de uma determinada doença, acaba por, ao provocar inflamação e criação de anticorpos para o vírus, induzir sintomas de depressão. Estes e outros estudos semelhantes têm demonstrado não haver dúvidas na relação entre inflamação e depressão.

Inflamação, Depressão e Nutrição:

Com tudo isto, conseguiremos reduzir os sintomas ou mesmo reverter a doença alterando o nosso regime alimentar para uma dieta rica em alimentos de caráter anti-inflamatório? Não existia esta resposta até um estudo onde cerca de 43mil mulheres sem depressão foram seguidas através do levantamento das suas dietas. Passados 12 anos, os dados foram comparados e aquelas que desenvolveram depressão eram as que consumiam mais alimentos pró-inflamatórios como refrigerantes, cereais refinados e carnes processadas, confirmando o que até então se tinha suposto: a dieta é um fator determinante no aparecimento da doença.

As endotoxinas são as responsáveis pelo processo inflamatório que ocorre após o consumo alimentar, até pouco tempo não existiam estudos que relacionassem endotoxinas e depressão, até que indivíduos saudáveis foram submetidos a uma injeção de endotoxinas na corrente sanguínea e, após poucas horas, começaram a demonstrar sinais claros de apatia, desinteresse e desmotivação.

A dieta que tem um caráter mais anti-inflamatório é aquela que tem por base o consumo exclusivo de vegetais, legumes e frutas. Isso se justifica pela presença de grande quantidade de antioxidantes contidas nesses alimentos. Desta forma, recomenda-se o consumo elevado de produtos de origem vegetal, de modo a prevenir e tratar a depressão.



PUBLICIDADES


Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Powered by WordPress | Designed by: Best SUV | Thanks to Toyota SUV, Ford SUV and Best Truck