O QUE É ESTAR CHOCADO? | Estado de choque e os principais tipos

Por: Marina Zanetti | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 25/02/2015

PUBLICIDADE
Choque

 

Quando se ouve o termo médico que um pessoa está “chocada”, muitos ficam sem entender em qual sentido isto ocorre. O termo “chocada/chocado” refere-se ao fato do paciente ter tido um choque, porém este em nada se relaciona com choque elétrico, mas sim, com deficiência de suprimento sanguíneo aos órgãos e tecidos; portanto: choque é uma condição clínica que ocorre devido a alterações no organismo, tornando assim a transferência de oxigênio e nutrientes que estão presentes no sangue, inadequada para suprir toda a necessidade metabólica dos órgãos e tecidos.

Existem quatro tipos de choques, que serão explicados um a um. São eles:

1) Choque Hipovolêmico;
2) Choque Distributivo;
3) Choque Cardiogênico;
4) Choque Obstrutivo.

Choque Hipovolêmico:

Este tipo de choque é decorrente do volume de sangue inadequado, ou ainda da capacidade de transporte de oxigênio pelo sangue inadequado.

Este é o tipo de choque mais comum em crianças e este volume de sangue inadequado se deve a perdas líquidas, que ocorrem principalmente por vômitos e diarréias, mas também por hemorragias e grandes queimaduras.

Choque Distributivo:

O choque distributivo tem sua causa voltada para a distribuição do volume e fluxo sanguíneo incorreta para os órgãos e tecidos, deixando-os então com um perfusão deficiente. Se subdivide em três principais choques:

– Choque Séptico: é a forma mais comum de choque distributivo, e tem origem infecciosa, ou seja, tem origem em uma sepse, que é uma grande infecção que acomete o organismo e é causada por microorganismos infecciosos.

- PUBLICIDADE -

– Choque Anafilático: este se refere a uma resposta alérgica exacerbada (exagerada) do organismo de uma pessoa frente a algum fator (medicamento, vacina, alimento, veneno, plantas), que não desencadeia a mesma resposta em uma outra pessoa que não seja alérgica a este mesmo componente. O paciente com choque anafilático pode apresentar: náuseas, vômitos, ansiedade, agitação, hipotensão (pressão baixa) e taquicardia (coração disparado, “batedeira”).

– Choque Neurogênico: este ocorre devido a alguma lesão no pescoço ou tórax, que tenha rompido os nervos que passam por estes locais e chegam ao coração, dificultando portanto o controle do músculo cardíaco (coração).

Choque Cardiogênico:

O choque cardiogênico  ocorre devido a debilitada contratilidade cardíaca, ou seja, o coração está “fraco” para manter os batimentos como deveria ser o ideal, e isto ocorre principalmente em doenças cardíacas congênitas (a criança nasce com a doença), miocardites (inflamação do músculo cardíaco), arritmias e sepse.

Choque Obstrutivo:

Este ocorre porque existe algum fator que esteja obstruindo o fluxo sanguíneo de chegar nos órgãos e tecidos.

Existem condições como: febre, uma grande lesão, uma forte infecçãoou uma dor exagerada que podem contribuir para que haja a instalação de algum destes tipo de choques, já que estes fatores, aumentam a necessidade dos tecidos receberem oxigênio.

Todos os tipos de choques aqui citados, apresentam praticamente os mesmos sintomas, por se tratarem de forma geral, da deficiência sanguínea dos órgãos e tecidos, desta forma fica restrito aos médicos o diagnósticos dos mesmos e a correta forma de tratamento, já que estas patologias podem se apresentar de forma súbita, levando o paciente a óbito em pouco tempo.



PUBLICIDADES


Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Powered by WordPress | Designed by: Best SUV | Thanks to Toyota SUV, Ford SUV and Best Truck