ÓLEO DE COCO | Tem benefícios comprovados?

Por: André Duarte | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 27/04/2016

PUBLICIDADE
Óleo de Coco

 

Óleo de Coco: Herói ou Vilão? Muitas vezes ouvimos afirmações sem base científica por parte de quem lucra com este produto de que o óleo de coco possui funções benéficas para a saúde, desde a cura do câncer até a melhora das dores nas articulações. Este é também conhecido pela sua transversalidade e aplicações não nutricionais, assunto que trataremos mais a frente.

Originado pelo processamento do coco, através de prensagem, podemos extrair o seu óleo que nutricionalmente apresenta entre 850 a 900 Kcal por 100 gramas de produto, sendo que, como o nome indica, é composto por lipídios e apenas traços residuais de outros nutrientes. O perfil lipídico é de 90% de gorduras saturadas, 3% de monoinsaturada e 7% de poliinsaturadas. As gorduras poliinsaturadas são consideradas essenciais, sendo assim podemos assumir que o óleo de coco é um bom alimento, mas os 90% de gorduras saturada presentes levam-nos a questionar o consumo deste produto. Primariamente encontrada em alimentos de origem animal, as gorduras saturadas tendem a aumentar o LDL (‘’mau’’ colesterol) e o risco de doenças cardiovasculares.

No que toca aos radicais-livres e a inflamação do organismo, sabemos que por norma o consumo de lipídios gera um aumento da inflamação sistêmica e que, por conseguinte, aumenta o número de marcadores inflamatórios. Um excelente estudo publicado em 2011 testou o uso de 3 diferentes tipos de gorduras no seu efeito de inflamação pós-prandial (inflamação do organismo após a ingestão alimentar). Foram feitos bolos com base de óleo de coco, linhaça e bacalhau e após o consumo foram medidos os marcadores inflamatórios e o resultado apresentaram uma maior inflamação sistêmica por parte do grupo que consumiu o bolo feito como óleo de bacalhau quando comparado com a linhaça e o coco. O estudo acabou por concluir que o consumo de óleos de linhaça e coco não geravam um pico inflamatório ao contrário do de bacalhau, no entanto, não existem certezas que este aumento da inflamação seja atribuída ao tipo de gordura pois existem outros fatores como certas endotoxinas formadas após a morte do animal que poderão ter efeitos pró-inflamatórios.

- PUBLICIDADE -

Em conclusão, podemos afirmar que não existem evidências científicas que provem os efeitos benéficos proclamados pela indústria do coco, no entanto, se seus níveis de LDL e o seu peso estiverem dentro dos valores recomendados e for uma pessoa saudável, não haverá problema com consumo ocasional deste produto.

Fontes: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21736782

Outros usos do Óleo de Coco

Creme hidratante com óleo de coco

Usado desde a antiguidade como hidratante corporal, este vem a tomar a atenção de cada vez mais pessoas devido à sua capacidade de tornar a pele mais brilhante. É também muitas vezes utilizado para tratar feridas originadas de queimaduras e também como batom.

Sabonetes artesanais com óleo de coco

Os sabonetes e géis de banho industrialmente produzidos muitas vezes apresentam substâncias químicas que poderão reagir negativamente com a pele. Sendo totalmente tolerável com o uso cutâneo existem na internet inúmeras simples maneiras de produzir o seu próprio sabonete.

Creme de barbear com óleo de coco

Formando uma camada de gordura entre a pele e a lâmina evitam-se cortes e assaduras desnecessárias além de atuar como hidratante como acima mencionado.

Lubrificante sexual com óleo de coco

Apesar de não ser compatível com o uso de muitos tipos de preservativos, o óleo de coco não apresenta alergias cutâneas e o fato de ser uma gordura, aumenta a sua eficácia e durabilidade. Quando comparado com os produtos do mercado, concluímos também que se trata de uma alternativa mais barata.



PUBLICIDADES


Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Powered by WordPress | Designed by: Best SUV | Thanks to Toyota SUV, Ford SUV and Best Truck