REFLUXO NA GRAVIDEZ

Por: Tiago Zenero | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 28/10/2014

PUBLICIDADE
Refluxo na gravidez

 

Após a mastigação, os alimentos devem passar pela faringe, o esôfago e, só então, chegarem ao estômago. Nesse último órgão, há a presença de um suco gástrico com pH ácido, o qual os demais órgãos do nosso corpo não estão preparados para recebê-lo. Assim, há uma pequena válvula entre o esôfago e o estômago que se fecha logo após a passagem do alimento. Em alguns casos, contudo, há uma fraqueza ou disfunção em tal válvula e a consequência é que o ácido gástrico acaba subindo para o esôfago. Isso é conhecido como refluxo.

Muitas mulheres sentem o refluxo na gravidez, durante todo o curso da gestação e, depois, com o nascimento do bebê, ele costuma desaparecer. Contudo, em futuras gestações, essas mulheres estão susceptíveis a ter refluxo novamente.

Por que refluxo na gravidez?

Muitas mulheres não compreendem a razão de nunca ter tido qualquer sintoma de refluxo e passar por isso apenas na gravidez.

A parte do esôfago mais próxima ao estômago chama-se esfíncter inferior do esôfago (EIE), o qual tem sua pressão controlada por hormônios gastrointestinais.

Se dividirmos a gravidez em três períodos, no primeiro trimestre, os refluxos são menos prováveis de acontecer, pois o EIE quase não altera sua pressão. Mesmo assim, ele não tem uma boa resposta a estímulos fisiológicos que deveriam aumentar sua pressão. Contudo, nos dois últimos trimestres de gestação, a pressão do EIE reduz gradualmente de 33 % a 50 %.

- PUBLICIDADE -

Com baixa pressão no EIE, há maior facilidade de ocorrer o refluxo. A pressão normal pré-gravidez deve voltar dentro de uma a quatro semanas após o parto e, por isso, as crises de refluxo também passam.

Sintomas

Na gravidez, os principais sintomas são: queimação no peito, conhecida como azia; queimação na garganta ou um gosto ácido na boca; dores de estômago ou no peito; náuseas e vômitos; dificuldade para engolir; rouquidão e dor de garganta; tosse.

Tratamentos e redução dos sintomas

Para reduzir os sintomas, há vários passos que podem ser tomados. Dentre eles, os principais são: comer de 4 a 6 pequenas refeições diárias no lugar de 3 grandes porções; evitar deitar-se logo após comer; evitar o uso de roupas muito apertadas; não consumir alguns alimentos que pioram os sintomas, como café, refrigerante de cola, alimentos cítricos, chá, chocolate ou comida muito gordurosa; ao dormir, deixa a cabeça mais levantada que o resto do corpo, colocando blocos de madeira debaixo dos pés da parte superior da cama ou então utilizando vários travesseiros.

Se tais medidas não forem suficientes, há tratamentos para o refluxo. O mais indicado para as mulheres grávidas é a ingestão de antiácidos. Apesar de eles serem vendidos sem prescrição médica, antiácidos que contenham bicarbonato de sódio ou magnésio trissilicato podem não fazer bem à gestante.

Se mesmo com o antiácido os sintomas persistirem, o mais recomendado é que a gestante converse com o médico para que ele possa buscar outro tratamento adequado.



PUBLICIDADES


Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Powered by WordPress | Designed by: Best SUV | Thanks to Toyota SUV, Ford SUV and Best Truck