TABAGISMO | O Cigarro e suas Doenças

Por: Marina Zanetti | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 17/01/2013

PUBLICIDADE
Cigarro

 

O tabagismo é o maior causador de mortes no mundo, sendo que aproximadamente um terço da população é fumante, e outro dado impressionante é que cerca de 10 mil pessoas morrem diariamente.

Início do tabagismo:

A maioria das pessoas que experimentam o cigarro pela primeira vez são jovens, ainda na adolescência, e o que os leva a cometer este ato é o fato de se sentirem estranhos, inseguros, rejeitados, passando por momentos de estresse, dificuldades na escola, conflito com os pais, entre outros problemas diversos.

No entanto há estudos que comprovam que aproximadamente 80% dos jovens se arrependem de terem experimentado o cigarro, já aos vinte anos de idade.

A facilitação ao uso:

O fato dos pais, irmãos, amigos, colegas e conhecidos fumarem pode facilitar o acesso ao cigarro.

Um grande problema conhecido é que o uso do cigarro pode induzir o fumante ao uso de outras drogas, como por exemplo, a maconha e a cocaína.

Existem estudos que alertam que em 2020, o cigarro será líder como causa de doenças, matando cerca de dez milhões de pessoas por ano, mais que a AIDS, a tuberculose, acidentes de trânsito, suicídios e homicídios.

Doenças associadas ao uso do cigarro:

– Doenças Vasculares Obstrutivas Periféricas;
– Doenças Periodontais (Gengivites)
– Mal de Alzheimer;
Rugas e envelhecimento precoce;
– Úlceras e gastrite;
– Impotência sexual;
– A nicotina presente no cigarro tem efeitos cerebrais semelhantes à heroína, anfetamina e cocaína e tem maior poder de vício que a heroína, cocaína, álcool, cafeína e maconha.

O que fazer?

- PUBLICIDADE -

Já que o cigarro é tão ruim e causa tantos prejuízos ao fumante e até mesmo àqueles que não fumam, mas que convivem com eles, por que não parar de fumar? O problema é que a nicotina presente no cigarro causa dependência além de química, também psicológica.

Apenas o fato de parar de fumar já reduz o risco de doenças relacionadas ao tabagismo. Parando de fumar tudo tende a se normalizar:

– 20 minutos a pressão arterial e o pulso se normalizam;
– 02 horas não há mais nicotina circulante no sangue;
– 12 a 24 horas os pulmões já funcionam melhor;
– 24 horas os riscos de ataque cardíaco diminuem;
– 01 ano o risco de Infarto Agudo do Miocárdio é reduzido à metade;
– 05 a 10 anos o risco de Infarto Agudo do Miocárdio é igual ao daqueles que nunca fumaram;
– 10 anos a probabilidade de morrer de Câncer de Pulmão ou Pâncreas é igual ao das pessoas que nunca fumaram;
– 15 anos se normaliza a incidência de doenças coronárias (doenças do coração).

Tratamento:

O principal é ter vontade de parar de fumar, o segundo passo é procurar por auxílio médico, que indicará o melhor tratamento, podendo ser uso de patch (adesivos), goma de mascar ou mesmo medicamentoso (Bupropiona).

O tratamento deve ser lento para que o fumante possa se acostumar com a ausência do cigarro evitando assim recaídas.

Somente após um ano de seguimento no tratamento que a pessoa é considerada ex-fumante.

Autora: Marina Zanetti



PUBLICIDADES


Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Powered by WordPress | Designed by: Best SUV | Thanks to Toyota SUV, Ford SUV and Best Truck