TENDINOSE | O que é?

Por: Iramar Greco | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 16/03/2018

PUBLICIDADE

Os tendões tem uma função extremamente importante para a manutenção do esqueleto; eles unem os músculos aos ossos, são responsáveis pelas articulações e mantém o equilíbrio do corpo. Com estrutura fibrosa, tem a função de transmitir a força gerada por um músculo à estrutura óssea produzindo movimento. Neste texto iremos explicar o que é a tendinose, os sintomas, diagnóstico e tratamento.

Os tendões, com forma plana, cilíndrica ou de cordão, apesar de sua enorme resistência e alguma elasticidade, estão sujeitos a sofrer uma série de lesões provocadas por sobrecarga ou traumas. São as chamadas tendinopatias, caracterizadas pela presença de dor e limitação dos movimentos na área afetada. Essas tendinopatias são e conhecidas como tendinite e tendinoseas que têm sintomas similares, mas causas e o tratamento diferentes.

O que é a Tendinose?

A tendinite é uma inflamação aguda de um tendão e ocorre em consequência de um trauma ou por esforço repetitivo. Já a tendinose é um processo de degeneração do próprio tendão provocada por uma tendinite que tornou-se crônica, pelo uso excessivo de uma articulação ou por esforço muscular muito grande na região afetada sem que o tendão tenha tido tempo para repousar e cicatrizar.

Na tendinose, o tendão já debilitado apresenta áreas de acúmulo de líquido e pequenas micro rupturas em sua estrutura, especialmente nos locais onde ele se une aos ossos. Esses esgarçamentos são irreversíveis e, se não tratados, podem levar a um rompimento total do tendão, mesmo com um pequeno esforço.

O rompimento de um tendão, além de extremamente doloroso, exige cirurgia que, mesmo bem sucedida, deixa sequelas, entre elas uma redução acentuada da força original da articulação afetada que, provavelmente, não poderá mais ser usada como antes.

- PUBLICIDADE -

A tendinose é controlável, exige tratamento específico, mas não tem cura porque os danos no tecido do tendão permanecem; o problema é mais comum nos pulsos, ombros, joelhos e calcanhares.

Sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção da Tendinose:

Os principais sintomas da tendinose são semelhantes aos da tendinite e incluem desconforto e dificuldade de movimento na articulação afetada, fraqueza muscular, leve inchaço, formigamento e diminuição de força. Mas, vale lembrar que na tendinite há inflamação no tendão, o que não ocorre na tendinose.

A distinção entre os dois casos só é possível através de exames de imagem como a ultrassonografia e a ressonância magnética, capazes de revelar o processo de degeneração dos tendões.

O tratamento da tendinose requer, de início, repouso e imobilização da área afetada, além do uso de compressas de gelo várias vezes ao dia. O retorno às atividades normais deve ser gradual e acompanhado de sessões de fisioterapia, reeducação postural para evitar esforço excessivo de uma articulação e exercícios de alongamento e fortalecimento muscular.

O tempo de tratamento da tendinose, normalmente, é de 3 a 6 meses, período necessário para melhorar a força do tendão e interromper o ciclo de lesões, apesar de ser bem pouco provável que elas regridam totalmente. Muitos pacientes permanecem com alguma limitação de movimentos na articulação afetada, mesmo após a conclusão do tratamento.

Para a prevenção de lesões nos tendões e manutenção dos tecidos saudáveis é aconselhável manter uma rotina de alongamentos e fortalecimento muscular antes da prática de atividade física e durante o trabalho que requer força excessiva ou movimentos repetitivos. Ao menor sinal de tendinite ou desconforto em qualquer das articulações, procure um ortopedista para dar início a um tratamento específico e evitar um problema crônico cuja consequência é a tendinose.

PUBLICIDADES


Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Medifoco - O Nosso Foco é a sua Saúde