TIREOIDITE DE HASHIMOTO | Hipotireoidismo

Por: Dr. Eduardo Machado de Carvalho | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 22/07/2017

PUBLICIDADE
Tireoidite de Hashimoto

A tireoidite de Hashimoto ou tireoidite crônica autoimune é uma doença imunológica que causa destruição gradativa da glândula tireóide. A doença ocorre pois o sistema imunológico passa a não reconhecer algum componente celular da glândula tireóide, assim, o organismo produz anticorpos contra a tireóide, iniciando a destruição da glândula.

Com a evolução da doença pode ocorrer o hipotireoidismo, que se traduz pela baixa produção dos hormônios da tireóide. A tireoidite de Hashimoto é a principal causa de hipotireoidismo em regiões sem deficiência da ingestão de iodo.

A tireoidite de Hashimoto é causada pela combinação de susceptibilidade genética e fatores ambientais. Quase todos os indivíduos apresentam altas concentrações no sangue de anticorpos contra um ou mais antígenos tireoidianos. Os principais autoanticorpos presentes quando há a doença são o antitireoperoxidase (anti-TPO) e o antitireoglobulina.

Sinais e Sintomas da Tireoidite de Hashimoto:Tireoidite de Hashimoto

Inicialmente ocorre elevação transitória dos hormônios tireoidianos e os indivíduos normalmente apresentam-se assintomáticos nessa fase. O diagnóstico é realizado nesse período através das alterações nos exames da função tireoidiana.

- PUBLICIDADE -

A segunda fase é caracterizada pelo hipotireoidismo subclínico, definido pela elevação do TSH com valores normais de T3 e T4. O bócio (aumento da glândula tireóide) pode surgir em decorrência do efeito trófico (crescimento) do TSH no tecido folicular da tireóide.

Os sinais e sintomas do hipotireoidismo passam a caracterizar o quadro clínico, portanto, o indivíduo pode apresentar cansaço, fraqueza, pele seca, intolerância ao frio, dificuldade de concentração, edema facial, constipação, perda de cabelo, dispneia e rouquidão.

A tireoidite de Hashimoto pode estar associada a outras doenças autoimunes, como: doença de Addison, diabetes melittus tipo I, vitiligo e anemia perniciosa. A tireoidite de Hashimoto aumenta o risco de linfoma de tireóide.

Diagnóstico Tireoidite de Hashimoto:

O diagnóstico é feito basicamente através do exame de sangue, onde é constatado aumento dos autoanticorpos tireoidianos, principalmente o anticorpo anti-TPO e o antitireoglobulina. A avaliação do estado funcional da glândula tireóide não é necessária para a confirmação da tireoidite de Hashimoto, embora seja recomendado a dosagem dos hormônios da tireóide, pois indivíduos com tireoidite possuem maior chance de evoluir com hipotireoidismo. A doença acomete principalmente as mulheres, porém pode ocorrer em ambos os sexos e em qualquer idade.

Tratamento da Tireoidite de Hashimoto:

Não existe tratamento específico para a tireoidite de Hashimoto. O tratamento apenas deverá ser realizado caso seja constatado o hipotireoidismo, devendo assim realizar a reposição adequada do hormônio tireoidiano (com levotiroxina) de forma a manter o hormônio TSH em níveis adequados de acordo com a idade e doenças associadas.

PUBLICIDADES


Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Medifoco - O Nosso Foco é a sua Saúde