VARIZES | Sinais e Sintomas, Como cuidar, Complicações

Por: Dr. Leandro Moreira | Texto Aprovado pelo Conselho Médico do MediFoco
Atualizado em 02/04/2012

PUBLICIDADE
Imagem varizes

 

Sobre a doença:

São veias dilatadas e tortuosas, em que as válvulas dos vasos são insuficientes e incompetentes, não conseguindo manter o fluxo de sangue em uma única direção, desta forma permitindo que o sangue volte em direção oposta ao fluxo normal.

 

Com a evolução da doença ocorrem alterações na parede dos vasos e válvulas. A parede da veia varicosa pode se tornar cada vez mais delgada (fina), ficando frágil e sujeita a ruptura da veia.

As varizes são mais freqüentes entre as mulheres a partir dos 40 anos de idade.

Para ver fotos de varizes veja o post: FOTOS DE VARIZES

Causas:

– Fatores hereditários, não tendo causa aparente;
Trombose venosa profunda (obstrução da veia);
– Insuficiência das válvulas venosas, em que ocorre estase sanguínea (sangue fica parado) ou o sangue reflui, voltando na direção oposta.

Fatores de risco:

– Gravidez;
Obesidade;
– Uso de anticoncepcionais (medicamentos pra evitar a gravidez);
– Profissão que exige esforço físico e/ou que exige posição ortostática (ficar em pé) por longos períodos (exemplo: professores, cabeleleiros, cozinheiros, balconistas, entre outras profissões).

Sinais e sintomas:

Dor em queimação (ex. nas pernas)
– Dormência;
– Parestesia (sensação de formigamento) geralmente nas pernas;
– Edema (inchaço);
– Úlceras geralmente em extremidades;
– Hiperpigmentação da pele (coloração mais enegrecida, amarronzada).

Exames complementares:

– Eco Doppler: se alterado mostra o refluxo de sangue;
– Duplex Scan Colorido: confirma achado no Doppler;
– Flebografia: só em alguns casos selecionados;
– Arteriografia: visualiza fístula arteriovenosa e/ou má formação vascular congênita.

Comprovação diagnóstica:

– Dados clínicos mais Ecodoppler/Duplex Scan Colorido;
– Flebografia: para estudar o sistema venoso profundo e das veias pefurantes.

Diagnóstico diferencial:

– Linfedema: edema que geralmente ocorre por patologias no sistema de drenagem linfática e não necessariamente o problema está no sistema venoso;

– Fístula arteriovenosa: são comunicações entre artérias e veias.

Complicações:

- PUBLICIDADE -

– Úlcera de estase: ocorrem pelo sangue parado no vaso, levando a fragilidade do mesmo;

– Ruptura de varizes: ocorre pelo mesmo mecanismo anterior
– Celulite indurativa: o termo celulite neste caso se refere a inflamação do tecido celular subcutâneo (tecido de baixo da pele);
– Hiperpigmentação: escurecimento da pele, geralmente pelo acúmulo de hemossiderina, resultante da degradação das hemácias.

Como cuidar do paciente:

– O tratamento vai desde mudanças de hábitos até procedimentos cirúrgicos
– O paciente precisa realizar exercícios físicos regulares, uma simples caminhada facilita o retorno venoso (a chagada de sangue no coração) diminuindo alguns sintomas
– Não ficar em pé, sentado ou parado em uma mesma posição por períodos longos
– Movimentar os pés frequentemente e quando for repousar manter as pernas elevadas
– Meias elásticas podem ajudar no retorno venoso

Tratamento da úlcera de estase:

– limpar as lesões com solução fisiológica, removendo todo o tecido necrótico; não usar anti-séptico;

– corticóide tópico ao redor da úlcera;

– pomadas cicatrizantes;

– cobrir a lesão com gaze e fixar com atadura de crepom; nunca usar esparadrapo sobre a pele, pois o local está frágil, podendo piorar a lesão.

Tratamento da ruptura de varizes com hemorragia (sangramento):

– fazer a compressão digital (com dedo) por cerca de 10 minutos, depois limpar com soro fisiológico e usar iodo pirrolidona fazendo curativo compressivo com gaze e atadura;

– manter o curativo por dois dias e se tiver sangramento ao retirar o curativo, repetir o procedimento;

– não suturar (parar o sangramento com o uso de fios e agulha), pois tal procedimento pode levar a formação de úlcera.

Medicamentos:

– Rutina, diosmina, dobesilato de cálcio, tribenosideos todos esses podem ser usados com prescrição médica;
– Usar corticóide nos casos de eczemas (área da pele inflamada).

Tratamento esclerosante:

– Indicação: telangiectasias (dilatações distais dos vasos) e microvarizes;
– Usar solução de glicose hipertônica (concentrada) ou glicerina cromada;
– Eletrocoagulação com bisturi;
– Laser.

Tratamento cirúrgico:

– Indicação: varizes de pequeno, moderado e grande calibre; quando o paciente refere muitos sintomas; complicações ou mesmo por estética.
– Pode fazer exérese (retirada) das veias comprometidas.

Evolução e prognóstico:

– Varizes não tratadas e/ou tratadas inadequadamente podem evoluir com seqüelas graves, incapacitando algumas atividades profissionais
– Varizes tratadas corretamente têm boa evolução, mesmo não tendo a cura da doença
– Prática de exercícios juntamente com outros métodos, como elevar as pernas quando em repouso, usar meias elásticas diminuem os sintomas, mas não evitam recidivas.

 



PUBLICIDADES


Deixe um Comentário

Antes de enviar seu Comentário, faça o cálculo abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Powered by WordPress | Designed by: Best SUV | Thanks to Toyota SUV, Ford SUV and Best Truck